Casa Jardim, Rio de Janeiro, Brasil ©2Portzamparc - Elizabeth de Portzamparc arquiteta

Biografia

Leia mais

Em sua atividade como arquiteta e urbanista, Elizabeth de Portzamparc concebe seus edifícios como símbolos arquitetônicos que carregam novos valores, referências urbanas fortes que estruturam e habitam de maneira justa os lugares em que são instalados.

Abertos para a cidade e para seus habitantes, os projetos do Musée de la Romanité de Nîmes, o GED – Grand Equipement Documentaire (Grande Biblioteca) do Campus Condorcet, em Aubervilliers, e a estação de Le Bourget foram pensados como espaços “vitais” dos quais o público se apropria com facilidade: uma arquitetura concebida como suporte para a animação local e qualidade de vida para aqueles que a frequentam.

Aplicando suas reflexões sobre a identidade das cidades e das metrópoles, esses equipamentos reforçam as qualidades do contexto no qual se inserem. Com uma arquitetura sóbria, leve e pura, baseada na redução dos volumes e na economia de formas e de materiais, favorecendo os espaços abertos e uma forte relação com a natureza, eles criam uma atmosfera, comunicam valores coletivos facilmente identificáveis e instauram um diálogo com a paisagem urbana local.

Graças à sua dupla abordagem sociológica e arquitetônica, ela combina a exigência dos planos social, urbano e ecológico com uma realização otimizada da forma, uma ação coerente e visível em todos os níveis de seu trabalho. Seus projetos se caracterizam por suas propostas inovadoras em termos de flexibilidade, através da implementação de dispositivos arquitetônicos que veiculam a sociabilidade tanto na escala do edifício como da cidade, além de favorecer as interconexões espaciais totais.

No Ateliê Internacional do Grand Paris, ela prossegue com suas pesquisas iniciadas há mais de 30 anos sobre a identidade dos lugares, a vida local e as conexões entre os territórios, contribuições fundamentais para a reflexão sobre a construção da metrópole. Ainda nessa mesma linha, dirigiu propostas pioneiras para o habitat sustentável, flexível, de uso misto ou pré-fabricado.

Além dos arquitetos, urbanistas e cenógrafos, sua agência conta com uma pequena equipe pluridisciplinar (sociólogos e cientistas políticos) especializados em pesquisas sobre os assuntos ambientais e sociais.